Dia de piscina [+18]

Era um sábado de tarde, um sol que combinava com uma gelada e um sexo gostoso na piscina. Entrei em contato com uma amiga que de vez em quando ficamos.

Ela, loira dos olhos claros, me deixava com tesão quando saía de vestido curto e salto alto, de baixo pra cima via suas coxas grossas, aquela bunda que dava água na boca, imaginava por dias eu e ela num momento íntimo.

 — Jessica, quer fazer algo?

—Oi! O que, por exemplo?

— Pegar uma piscina e beber!

— Claro que sim, posso chamar minhas amigas?

— Pensei em algo mais íntimo

— Hmm, está bem…

— Vou te buscar e depois iremos ao mercado comprar bebida

— Espera 15 minutos para me trocar e depois vem.

— Tudo bem, até daqui a pouco, beijos

— Beijos

Peguei ela na casa, estava com biquíni por baixo, um tomara que caia, shorts jeans, óculos de sol e chinelo.

Uma deusa havaiana, aquele perfume doce que sempre usa pra me cativar, cumprimentei ela na boca, aquele beijo de boas-vindas.

Fomos ao mercado, na volta guardei o carro na casa, coloquei um som com uma música que nos deixou excitados. Compramos cerveja e alguns aperitivos, começamos a beber pra esquentar e entramos na piscina.

Conversamos, pegamos sol, dando risada e curtindo o momento.

O clima começou a esquentar, mas não tomei nenhuma ação, queria deixar ambos na vontade até o melhor momento chegar.

Aquele biquíni era pequeno perto daquela formosura, peitos grandes, bunda grande, aquela marquinha de sol que deixava meus lábios mordidos de tanta vontade.

Ela entrou na piscina, chegou por trás e apertou minha bunda, dei risada e apertei a dela. Puxei ela pra perto de mim e dei um beijo demorado…

Sentei no degrau da piscina, ela ficou entre minhas pernas, apertei sua bunda com vontade. Me beijando sem parar, começou a beijar meu pescoço, me deixando todo excitado. Com toda essa adrenalina, ficava com medo que algum vizinho estivesse nos olhando…

Ela sentindo que estava de pau duro, roçava e minha vontade era sentir ela mamando gostoso. Não deu outra, ela agachou, tirou minha sunga e começou a lamber devagar e me olhava com cara de danada.

Sua boca estava quente e a água gelada, sentindo sensações gostosas, já imaginava comendo ela de quatro no degrau.

Peguei no cabelo dela, empurrando sua cabeça, sentindo ela engolir. Soltou sua mão e deixou que eu controlasse a cabeça. Segurei seu rosto e comecei a socar gostoso.

Levantei ela e tirei seu biquíni, com aqueles peitos fartos, comecei a beijá-los. Lambendo os bicos, passando a língua devagar e olhando pra ela com cara de safado. Via seus olhos virarem de tesão, mudei do esquerdo para o direito. Segurava seus peitos com vontade e a língua em harmonia.

Me levantei e deixei ela de quatro, tirei seu biquíni com a boca, o nó esquerdo e depois o direito. Uma mão em cada poupa, abrir sua bunda e comecei a passar a língua devagar, de cima pra baixo.

Enfiei um dedo pra deixar ela relaxada e ouvi um gemido gostoso. O movimento era contínuo e combinava com minha língua. Enfiei o segundo dedo pra deixar mais excitada, ela pegou em meu cabelo e forçou contra. Era rosinha, não tinha pressa em chupar essa mulher.

Ela me pediu pra sentir meu pau dentro dela, me levantei, peguei na sua cintura e enfiei gostoso. Fui devagar, mesmo caindo de boca estava bem apertadinha.

Começou a lacear e acelerei o ritmo, batendo naquela bunda durinha de academia, socava com força deixando ela sem fôlego.

Peguei no cabelo e trouxe pra mim, fazendo ela sentir mais tesão. Saímos da piscina, coloquei uma toalha no chão, ela ficou por cima e começou a cavalgar gostoso, por estarmos molhados, ouvia o barulho da sua bunda em meu quadril, naquele ritmo frenético, batia e apertava sua bunda. Depois de alguns minutos eu estava todo arranhado, aquela cachorra estava gostando de tudo. Ficou sentada e parada, deixando que eu socasse gostoso e rápido. Ficando sem força ela saiu de cima e caiu de boca de novo.

Recuperada, ficou de costas pra mim e roçou sua rosadinha em meu pau. Penetrei e ela rebolava de um jeito que me deixava louco, cada tapa era um estralo, era o troco pelas mordidas e arranhões que recebi.

Depois de algumas posições, ela sentiu cansaço, se deitou e comecei a chupar de novo. Peguei uma cerveja e com a língua gelada, caia de boca, senti seu corpo se contorcendo e bem quente. Encontrei seu ponto G e dali não sai mais, estava se fechando toda por dentro até relaxar por completo.

Ela pediu pra me deitar, querendo mamar até a última gota, chupando de lado, pegou no meu pau e começou a bater uma. A vontade começou a chegar e avisei, ela colocou a boca e gozei gostoso.

Ela esperou sair, engoliu tudo e voltamos pra piscina. Restavam muitas cervejas e pela vontade que estávamos, rolaria de novo após algumas horas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *