O dia que viajei de avião [18+]

Era fim de ano, estava pronto para viajar para o Nordeste e estava entre amigos. Por sorte os amigos convidaram mulheres diferentes das quais eu estava acostumado… Bruna o nome dela, baixinha de cabelos azuis. Sim, era exótica e me instigava com suas tatuagens. O tipo de mulher que desejo fazer um sexo em lugares desconhecidos.

Eu não a conhecia pessoalmente, só por fotos, das quais eu pedi aos amigos para não ficar a ver navio. Nos encontramos num barzinho antes para fazer a despedida e socializar um dia antes da viagem. A noite foi boa, demos risadas, falamos de roteiros que poderiam ser feitos quando estivéssemos em Fortaleza, etc.

A Bruna chegou logo depois, ela estava em São Paulo numa feira de cosméticos. Ela gostava desse assunto e por conviver com mulheres, consegui a atenção dela quando chegou. Me entrosei rápido e o papo foi ficando bom, ela por sua vez perguntou o que eu fazia, demonstrando aquele leve interesse por mim. Em alguns momentos percebia aquela mordida em seus lábios e meu sexto sentido demonstrava que ela estava toda molhada enquanto não tirava os olhos da minha boca. Eu me fazendo de desentendido, continuava a conversar sem grandes chances de beijá-la. Mas ao passar do tempo, ela foi chegando cada vez mais perto e os amigos ficaram distante. Então chamei ela para um canto e ficamos.

No outro dia da viagem, mandei um bom dia pra ela, ela mandou aquela foto que acabará de acordar e estava com ressaca. Passei algumas dicas pra ela, e fui terminar de arrumar minhas coisas. O voo seria às 18h e precisava estar pronto às 15h.

Nos encontramos no aeroporto, eu e a galera. Cumprimentei a Bruna com um beijo na boca pra marcar território e todos ficaram com aquele sorriso estampado no rosto. Meus amigos me deram tapas nas costas, como um gesto de fraternidade. A sorte estava ao meu lado, tanto ela, quanto a Bruna. Era a primeira vez que “andaria” de avião e estava aflito. Por sua vez, Bruna estava acostumada a viajar sozinha, então dava risada enquanto eu suava frio esperando o avião chegar ao destino. Ela vendo que eu estava nervoso, começou a me beijar, mas antes tirou seu casaco e colocou em cima da minha calça. Eu percebendo a malandragem, apertei sua perna como retribuição.

O avião decolou, senti aquele frio na barriga e depois se estabilizou, voltei a beijar a Bruna, que por sinal, beijava muito bem. Ficamos nos acariciando por alguns minutos, sem aquele ar de putaria. Falei no ouvido dela bem baixinho — Estou com uma vontade louca de transar contigo. Ela respondeu que também estava e talvez não esperaria muito. Eu dei a ideia de transarmos nas poltronas como brincadeira, então ela disse que poderíamos transar no banheiro do avião. Fiquei intrigado com a possibilidade e com vontade pela sensação de transar nas nuvens.

Fizemos o plano de eu ir primeiro e depois de alguns minutos ela entrar no banheiro também, mas era meio impossível pela quantidade de aeromoça no avião. Como eu tinha dito, a sorte estava comigo e parecia que as aeromoças tinham sumido por um tempo, então me deu na telha… Me levantei em direção ao banheiro e olhei para trás com um sorriso no rosto, ela me olhando com um tesão gostoso. Eu sabia que a possibilidade era grande de transarmos, mas não seria por muito tempo, justamente pelo tempo de alguém querer usar.

Entrei no banheiro e depois ela entrou, fechando a porta rapidamente. Pela adrenalina, comecei a beijá-la e tirar sua roupa, estava com tanto que tesão pela situação, que meu pau estava muito duro. Aquela mulher sem roupa era uma delícia, com aquelas tatuagens que me deixavam louco… Ela ficou de joelhos e começou a mamar, eu fechei os olhos e me senti muito estranho. Nunca tinha recebido um boquete numa altura assim. Estava tão gostoso, mas não deixei ela mamar por muito tempo. Puxei ela, ela sentou na tampa da privada com a perna aberta e comecei a chupa-la, retribuindo a chupada daquela boca deliciosa.

Coloquei ela de quatro apoiada na tampa, enfiei bem devagar para ela sentir meu pau entrando com carinho. Depois aumentei a velocidade, sempre com medo que alguém batesse na porta querendo entrar. Por ser de primeira classe, o chão do avião estava muito limpo por sermos os primeiros a utilizá-lo. Fiquei deitado no chão e ela ficou por cima cavalgando gostoso. Não podíamos gemer por causa do barulho, então ela colocou a minha camisa na boca e ouvia aquele grito abafado. Eu não conseguiria gozar, mas a sensação era demorou para gozar, até que senti vontade e gozei em sua boca. Ela lavou sua boca, nos vestimos e combinamos dela sair primeiro do banheiro e depois eu. Mas antes ela iria despistar a pessoa que estava na fila para eu sair para outro lugar.

A ideia foi brilhante e no fim das contas conseguimos aquele feito de transarmos no avião. Ficamos dando risada no avião por ter sido uma loucura e depois me disseram que estávamos lá 20min, fiquei de boca-aberta por pensar que eram poucos minutos… Chegando em terra firme, fizemos sexo na praia e outros lugares turísticos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *